30 julho 2016

LUZ SUSSURRANTE

Danças comigo?
murmurou mansinha a luz enquanto acariciava o lúpulo suspenso entre mundos.
 E dançaram até a manhã se fazer tarde,
e dançaram no silêncio quieto dos dias sem brisa,
do tempo sem horas
 e dançaram na doce cumplicidade de quem sabe ser apenas sopro.










27 julho 2016

Que pena, a vida na asa de uma gaivota

Penas suspensas na pressa dos dias



Penas dançantes nos picos da vida efémera


 Penas pousadas nas plantas...dos pés


Perfume de  penas desabrochando no mistério da flor


De pena em pena
corre a vida veloz
até ser flor
na asa de uma gaivota

22 julho 2016